rogeriomarquescosta-versoseprosa
Só quem ama, vive o verdadeiro amor.
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
MANIFESTO MATERNAL (AVOENGO)
MANIFESTO MATERNAL (AVOENGO)

Quando eu morrer, ninguém chore a minha morte,
descanso eterno da infeliz mortal.
Deixo o filho que adorei na vida,
chorar meus restos na mansão final.

Querido filho, não me enfeite a campa.
Não quero as pompas que a riqueza tem,
simples cruzário* colocado em frente,
cipreste guia que se aviste além.

(*) Antiga expressão utilizada que significa cruz de cipreste.

AUTORA: FRANCISCA CÂNDIDA DA ANUNCIAÇÃO (1867-1962)
(Bisavó materna do Poeta - escritor. Residiu em Passa Tempo MG).

Colaboração de Nívea Marques de Sequeira Costa em https://www.blogger.com/blog/post/edit/preview/1659587490605719755/6680977939339139652
FRANCISCA CANDIDA DA ANUNCIAÇÃO
Enviado por ROGERIO MARQUES SEQUEIRA COSTA em 26/07/2020
Alterado em 26/07/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários